Barquinho a Deriva: não podemos atrapalhar o curso Natural da nossa Vida

Acredito que todos já ouviram a expressão: “remar contra a maré”, não é mesmo? Tal expressão se refere à quando queremos chegar a determinado lugar, mas as dificuldades são tamanhas, o cansaço vem, e podemos chegar a desistir. E não é que quando desistimos, deixamos a “vida nos levar”, tudo flui naturalmente, e muitas das vezes conseguimos chegar onde queríamos? Ou até mesmo melhor ainda do que imaginávamos?

Devemos observar a Natureza e usá-la como exemplo. O que não vem a ser isso, senão seguir o curso da Natureza? Quando aprendemos essas questões é que tudo muda.
O universo e tudo que a rege, estão em perfeito estado de harmonia para o ser humano, mas este, com seu egoísmo e apego tenta burlar o curso natural das coisas, e faz um esforço tamanho que acaba quebrando essa harmonia, gerando resultados negativos para si próprio e para seus semelhantes.

Vivemos atualmente com pressa, tudo é para ontem, e criamos barreiras, dificuldades, que atrapalham o curso Natural das coisas acontecerem. Surge a ansiedade, a depressão, conflitos, aumento do egoísmo e acabamos entrando num buraco, tudo começa a dar errado, e a infelicidade toma conta, justamente pela dificuldade em deixar o curso seguir naturalmente.

Sim. Isso mesmo, estamos no barquinho à deriva e remando contra.  O que nos leva a remar contra, é nada mais que nosso ego e ignorância.

O ser humano não é detentor do poder total, ele faz parte da Natureza e tudo que há nela. A maior prova disso é que a Natureza se manifesta em catástrofes, tempestades, furacões, tsunamis, etc, e o ser humano vira um nada, sucumbe. 

Estamos nesse barquinho, e a maré, o vento, é que nos levam onde precisamos chegar, não é onde eu quero chegar, é onde precisamos chegar. A maré o vento, são a Natureza, ou Deus como queiram chamar, é ele que nos conduz para que aprendamos nesse caminho até o atracar no local correto, o local onde completamos mais uma etapa de nossa jornada. Para alguns ou maioria isso parece que não acontece jamais, porém é um erro de ponto de vista e auto avaliação.

Mas isso não é resignação, acomodação, ou algo que justifique o não fazer nada para mudar?

Não, pois haverá momentos difíceis, cujo quais precisaremos pegar nosso remo, e remar, mudar o caminho, enfrentar intempéries, mas nunca remar contra, sempre a favor da maré. Talvez aumentar a velocidade, um pouco mais para a esquerda ou direita, algo assim. A partir do momento que entendemos isso, quebramos nossas barreiras, nosso ego, e respeitamos o curso natural das coisas, sem atrapalhar o trabalho da Natureza, ou Deus, tudo flui naturalmente, sem que haja esforço do ser humano, e a felicidade é que vem.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *