Dia: 30 de dezembro de 2019

Os orgânicos são mais ricos

Ser livre de agrotóxicos não é a única vantagem desses alimentos. Surgem indícios de que também oferecem mais substâncias protetoras



Você certamente faria a alegria do seu nutricionista, do seu médico e da sua própria saúde se acrescentasse duas porções extras de frutas, verduras ou legumes ao dia a dia. Pois, segundo pesquisadores da Universidade de Newcastle, na Inglaterra, a gente ganharia o equivalente a isso se simplesmente trocasse os alimentos convencionais por sua versão orgânica. Pelo menos em termos de antioxidantes, moléculas famosas por proteger nossas células dos pés à cabeça. Os especialistas descobriram que esses ingredientes apareciam numa quantidade de 19 a 69% maior nas safras produzidas sem pesticidas. E olha que suaram para chegar a esses números: nada menos que 343 estudos foram vasculhados.

“Além de abrangente, essa revisão é mais criteriosa do que pesquisas anteriores”, contextualiza a química Sônia Stertz, doutora em tecnologia de alimentos da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Para ela, os achados fazem total sentido e são consequência justamente da ausência de agrotóxicos e fertilizantes nitrogenados no cultivo orgânico. “Nessa situação, as plantas ativam seu próprio mecanismo de defesa o tempo todo”, esclarece. É aí que a produção de antioxidantes dispara. Afinal, na falta dos defensivos agrícolas, são eles os elementos recrutados pelo vegetal para afastar pragas, insetos e outros agressores.

“Como essas substâncias são fabricadas com o intuito de proteger a planta, costumam se concentrar na casca”, conta a nutricionista Ana Luísa Kremer Faller, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ela diz isso com conhecimento de causa. Há alguns anos, a professora investigou os teores de compostos fenólicos, classe expressiva de antioxidantes, em 12 alimentos, tanto na versão convencional como na orgânica. “As frutas e hortaliças livres de agrotóxicos eram, em 80% dos casos, mais ricas nessas substâncias”, revela.

Ana Luísa pondera que é difícil cravar quão mais rico um orgânico é em relação a um produto cultivado com pesticidas. “É que uma série de fatores influencia nesse aspecto.” Ela se refere a forma de cultivo, temperatura, tipo e qualidade do solo. “Mas, no geral, os orgânicos tendem, sim, a apresentar teores mais elevados de antioxidantes“, diz. E essa é uma vantagem que o nosso organismo sabiamente comemora. “Esses componentes naturais combatem os radicais livres e, por isso, seu consumo está associado a um risco reduzido de doenças cardiovasculares e degenerativas, além de algumas formas de câncer”, ensina Sônia.

Se no campo dos antioxidantes as evidências de superioridade dos orgânicos parecem inquestionáveis, a história permanece nebulosa no quesito vitaminas e minerais. “Alguns dados não mostram diferença, outros indicam que os orgânicos são melhores. Mas o importante é que nenhum estudo até agora apontou que eles têm menos nutrientes”, diz a agrônoma Ronessa Bartolomeu de Souza, da área de Solos e Nutrição de Plantas da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a Embrapa. De novo, as condições de plantio e clima pesam muito nessa conta.

Pelo menos em um trabalho conduzido pela química Sônia, da UFPR, os orgânicos saíram vitoriosos. Para ter ideia, o morango isento de pesticidas tinha quantidades extras de ferro (342% a mais), fósforo (63%), magnésio (183%), potássio (80%) e fibras (26%). A batata, outro destaque no mesmo trabalho, apresentou maiores doses de selênio (33%), ferro (54%), fósforo (36%), cálcio (17%) e fibras (21%). O agrião, a cenoura e a couve-flor também fizeram bonito.

Para ninguém botar defeito

Os especialistas ouvidos por SAÚDE são unânimes ao afirmar que as pessoas deveriam priorizar os orgânicos pelo simples motivo de não carregarem agrotóxicos. “Esses produtos utilizados no Brasil são superagressivos. Muitos estão até proibidos em outros países”, alerta a nutricionista Danielle Fontes, mestre pela Universidade de São Paulo. E tem um complicador aí: o mau uso. Ana Luísa, da UFRJ, lembra que vira e mexe a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) analisa algumas culturas e detecta quantidades exorbitantes de pesticidas. Fora que, não raro, um agroquímico indicado somente para determinado alimento é encontrado em outro. “No final das contas, tomamos uma sopinha de substâncias químicas”, resume a professora.

Como ingerimos um pouco todos os dias, é quase impossível mensurar o real impacto dessa mistureba no surgimento de doenças. Mas as perspectivas assustam. Sônia conta que, em trabalhadores que lidam diretamente com esses produtos, há relatos de lesões na pele, danos ao fígado e aos rins, complicações respiratórias, problemas neurológicos e reprodutivos, desregulação hormonal e até câncer. “A dose diária aceitável de agrotóxicos deveria ser zero”, afirma Ronessa.

Pena que o preço da comida sem defensivos afaste muitas vezes o consumidor. Para encontrar valores mais amigáveis, Ana Luísa sugere fugir de redes de supermercados. “Prefira ir às feiras”, diz. Caso não dê para comprar os alimentos da família inteira na versão orgânica, a nutricionista pede para privilegiar as crianças. “Estudos revelam que os efeitos dos agrotóxicos nelas são até dez vezes mais intensos do que em adultos”, concorda Sônia. Outro conselho: procure os relatórios da Anvisa para checar as variedades mais carregadas de pesticidas – e, com a lista em mente, priorize os orgânicos para a despensa. Mora em condomínio? Uma alternativa legal é incentivar as hortas comunitárias, até porque algumas espécies são fáceis de manipular. O que não dá é para continuar envenenando o próprio corpo.

Orgânico não é só vegetal

Produtos de origem animal, como carne, leite e ovos, também podem receber o selo de orgânico. “O bovino, por exemplo, não recebe antibióticos, hormônios, quimioterápicos e ureia”, ensina Cecília Mendes, engenheira de alimentos da empresa Korin. Além disso, a ração dos animais é livre de agrotóxicos e eles não vivem em confinamento. Ou seja, seu bem-estar é levado em conta. “O resultado é que os orgânicos são minimamente processados, sem ingredientes artificiais, conservantes ou irradiação, o que mantém sua integridade e qualidade”, defende Cecília.

Fonte: Revista Saúde – Abril
https://saude.abril.com.br/alimentacao/os-organicos-sao-mais-ricos/

“Rir, Rezar, Apreciar”: a Higiene da Mente

A higiene é algo essencial para o ser humano e a higiene mental não é exceção. O riso, a oração e a contemplação estética são formas de limpeza da mente e deveriam ser cultivados como hábito diário, assim como escovar os dentes.

Os benefícios dos hábitos saudáveis de higiene para a sociedade humana são inequívocos e inquestionáveis. No entanto, da forma com que se faz hoje, a higiene limita-se ao ambiente e ao corpo e acaba por negligenciar a higiene mental. Com isso apenas 2/3 são contemplados.

Assim como o corpo se suja ao ficar exposto ao ambiente, o mesmo ocorre com a mente. Ao ser exposta à atos abomináveis, à discursos de ódio, à situações de medo ou insegurança, gradualmente os pensamentos são afetados de maneira negativa e acabam por “normalizar” diversos disparates.

Por isso, assim como a mente se suja diariamente é preciso cultivar o hábito de limpá-la também diariamente. Em sentido inverso, a limpeza da mente ocorre ao ter contato diário com atos meritórios, discursos de amor e situações de segurança ou alegria. Como isso é atualmente difícil é requer esforço.

Talvez a forma mais refinada de higiene mental é a contemplação estética. Mas a verdade é que dependendo da quantidade e do grau dos problemas, não é possível apreciar nada. Existem ocasiões em que até mesmo orar se torna impossível. Em circunstâncias como esta, rir é o melhor.

Rir não é rir dos outros mas de si próprio, da sua própria situação. É achar algum ângulo engraçado ou irônico na situação sua situação. Apenas não confunda riso com deboche, não é bom debochar, nem mesmo de você. Mas o riso, o riso é como uma flor que abre a mente para novas perspectivas.

“Dia do pagamento! Durmo uma noite e… carteira vazia…”

A oração trás conforto e esperança. Por meio da oração é que “entregamos” aquilo que está além do nosso alcance e que nos permite centrar em resolver aquilo que está. Em um dia mais escuro, a oração permite ver um amanhã com esperança e as vezes isso muda tudo; pode até quebrar um círculo vicioso.

Desnecessário dizer que orar não se trata de repetir mecanicamente um conjunto de palavras mas de ser inspirado por elas. Ao orar a pessoa deve saborear cada palavra e meditar sobre seu conteúdo deixando-se mover por ele. Ao fazer isso, uma boa oração é aquela que desperta reflexão e sentimentos bons.

“Perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido.”

O contato com elementos estéticos desenvolve a sensibilidade. Em uma sociedade cada vez mais corrida e mecânica, mesmo havendo possibilidade não se dá tempo para apreciar as singelezas da vida. Coisas como sentir o vento, contemplar uma flor ou ler poemas é algo que define o ser humano.

O importante é ter contato com elementos estéticos que despertem sentimentos bons, mesmo que inicialmente com forte apelo ao sentidos. A apreciação estética é também uma educação, é preciso se educar gradativamente e buscar apreciar elementos estéticos cada vez mais sutis e refinados.

“O lago em breu —

à silhueta de luz da Lua nova, reflete a sombra escura do pinheiro ao vento.”

E claro, assim como um banho não resolve doenças, caso esteja mentalmente doente, consulte um psicólogo.

Uma perspectiva de Mokiti Okada

Logo no início de seu trabalho, quando as dificuldades eram inúmeras, o mestre Okada realizou uma série de saraus de poemas humorísticos onde junto com seus amigos choravam e riam juntos as mazelas da vida. Mas o principal é, mesmo que por um breve momento, todos se divertiam juntos enquanto esqueciam dos sofrimentos de uma época. O riso sempre foi cultivado pelo mestre Okada.

O mestre Okada era teísta e também compôs orações que podem ser entoadas por qualquer pessoa que quiser e atualmente são entoadas por muitas pessoas no mundo todo. Essas orações tem versos muito inspirados que ajudam a despertar aquilo que há de melhor em cada um de nós. São orações que trazem calma e esperança, isto é, que trazem luz à nossa mente.

Ainda, o mestre Okada era amante das belas artes, em especial das japonesas. Ele sempre se dedicou à pintura japonesa, caligrafia e à composição de poemas, além disso colecionou um acervo que suscitou dois museus. O objetivo era popularizar as artes japonesas para o público em geral. Apreciava também a cultura ocidental como o cinema e até a cultura pop como os ukiō-e.

A Purificação Estética

Ao ter contato com qualquer ideia, texto ou situação a primeira coisa a considerar é o sentimento. Caso o sentimento que foi despertado é virtuoso, ela contribui a para limpeza da mente; caso contrário para sua corrupção. O mesmo vale para o riso, orações e obras de arte. As artes mais elevadas despertam sentimentos sublimes e as menos induzem ao ódio ou ao conflito.

Quando a mente está sendo purificada manifestam-se alguns sinais. Os músculos relaxam, ocorre o bocejo (ou arroto), surge uma sensação de calor e muitas vezes o sorriso de alívio é inevitável. Para que esses sinais se manifestem leva algum tempo de contemplação. Enquanto a maioria das pessoas não está habituada a parar e desfrutar de momentos estéticos, o hábito de contemplar coisas ruins já está estabelecido. A higiene, ou falta dela, é um hábito.

A contemplação do belo é um hábito a ser cultivado diariamente.

Francisco Marcondes Supino – de Braga, Portugal

Ressentimentos após um Rompimento Amoroso

Vamos citar um exemplo que reflita o caso: Algumas vezes o relacionamento amoroso é rompido e as pessoas se separam. Nesse caso, uma das pessoas pode ser alvo de forte ressentimento do outro. O que pode ser feito.

R: Isso não pode ser ajudado.

Tudo bem ficar ressentido desse jeito?

 R: Mesmo o amor romântico precisa de alguma habilidade para ser preservado, então use sua sabedoria. Tente não amar cegamente.

Como podemos perceber pelo diálogo acima, o amor romântico é algo bonito, maravilhoso realmente mas também tem a condição de deixar qualquer um ser tragado de tal forma que tudo o mais se torna secundário, sem importância e mesmo a ponto de criar muitos inconvenientes e normalmente pode gerar situações fora de controle e ruins também. Quando se chega nesse estado o apego e o egoísmo entram em cena então tudo se torna muito mais complicado, e nesse estágio normalmente ocorrerá algo que afastará um do outro.

Não existe algo tão danoso como o apego, e isso afasta as pessoas em um relacionamento. O apego de um esfria o amor do outro e normalmente isso ocorre em meio a confusões e situações constrangedoras. Quando se é tragado pelo amor tudo pode fugir do controle, e sabedores disso deve-se evitar ao máximo ser tragado pelo amor, mantê-lo sobre as rédeas com força de vontade e esforço, não deixar o apego tomar conta e para isso simplesmente deve se impor pela força de vontade contra o apego, que no final também é egoísmo e dessa forma as coisas irão acontecer naturalmente, sem maiores problemas.

Quanto mais se tentar intervir pior fica, não adianta falar nada. Por isso deve-se fazer o possível para não amar cegamente, pois transforma qualquer um em um ser mais baixo, pior e que trará consequências desagradáveis. Fiquem atentos portanto.

O que a Mentira pode te Afetar?

Um hábito constante é a Mentira, saiba através deste vídeo e conscientizemo-nos deste problema recorrente. Um vídeo muito objetivo e que promove reflexão.